O lado humano da comunicação em times remotos

No ambiente de trabalho remoto, assim como no presencial, estamos na grande maioria das vezes trabalhando com alguém ou para alguém. Isso significa que a interação com as pessoas vai ocupar um papel considerável da nossa rotina, e por que não, da nossa vida.

O olhar sobre o ambiente de trabalho onde cada pessoa está em um local tem despertado questionamentos sobre como se dá a relação pessoal. “Mas não é muito frio o contato?” 

E a verdade é que o nível de interação, presente de formas variadas, é o que vai refletir a cultura desse organismo. 

Cultura é um organismo vivo, mas que não tem vida própria. Não é sobre um espaço físico, ferramentas, benefícios, ou regras.

Se é difícil criar uma cultura trabalhando remotamente, é provável que no ambiente presencial seja tão desafiador quanto. Afinal são pessoas. E o resultado da interação entre elas.

A chave para a criação desse vínculo real entre uma equipe remota pode estar na profundidade do relacionamento e na identificação. O que é de certa forma complexo, e pode também levar tempo. Mas o que vai ajudar a promover essa conexão é o sentimento de fazer parte de algo, compartilhando objetivos, e principalmente as conquistas.

Se a comunicação é restrita e a relação é distante, até o resultado do trabalho pode ser comprometido. O trabalho remoto exige se comunicar em excesso, no bom sentido. Deixar certezas ao invés de dúvidas, se antecipar nas atualizações ao invés de ser perguntado. 

Quando assumimos que o nosso escritório é nas nuvens, a qualidade da comunicação é colocada à prova. Através de alguns hábitos é possível criar uma aproximação maior em nível pessoal.

Nunca deixe a câmera desligada

Se eu deixo a câmera desligada para fazer uma vídeo conferência, ou se as conversas são formais, reduzidas apenas ao assunto do trabalho, estou inconscientemente criando barreiras.

Faça retrospectivas

Por exemplo, fazendo retrospectivas. Revisitar situações marcantes, trocando ideias sobre alegrias, incômodos, angústias, incertezas, expectativas. A troca de feedback aproxima. Assim como momentos onde podemos mostrar um pouco mais de nós.

Comece reuniões com assuntos aleatórios

Não precisamos entrar nas vídeo-conferências já direto ao assunto do trabalho. Em boa parte dos casos, alguns minutos de bate-papo não vão comprometer, na verdade servem como uma forma de energizar. Pessoas vivendo em contextos e lugares diferentes naturalmente têm ricas trocas sobre diferentes assuntos.

Combine vídeo calls para conversar (Buddy Calls)

Assim como no ambiente presencial teríamos momentos para troca de ideias sobre a vida, aqui também é super possível. Marque horários para bater um papo mais descontraído, tomar uma cerveja, ou quem sabe, fazer um desabafo.

Encontros Presenciais (Team Retreats)

Nós trabalhamos muito bem remotamente, mas fazemos questão dos encontros presenciais. Aqui nós reafirmamos e aquecemos essa conexão do time. Algumas vezes por ano passamos uma semana juntos, organizando o tempo para que não seja um momento de trabalho presencial, mas de vivência próxima, conexão e diversão.

Isso forma cultura, não é sobre o espaço físico. São as pessoas que têm o poder dessa transformação. E mesmo cada vez mais elas espalhadas fisicamente, mas conectadas através do exercício de ser humano.