REMOTE FIRST. Um curta-metragem sobre liberdade e propósito nas relações de trabalho. Assista agora!

Trabalhar sem propósito não é para a geração dos Millennials. Está no DNA: eles acreditam em confiança e autonomia para alcançar resultados e unir desejos pessoais com sonhos profissionais. Mas se a sua empresa ainda está presa em práticas mais tradicionais, pode ser que você acabe perdendo esses novos talentos.

Diferente da geração work hard play hard — aquela que gostava de ficar até tarde trabalhando, jantando dentro do escritório e deixando de lado muitos compromissos pessoais para priorizar o trabalho — a nova geração não acredita que essa seja uma métrica de sucesso. Pelo contrário, eles passaram a enxergar um ponto de equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Deixou de ser uma questão de escolha “morar no lugar que sempre quis ou ter uma ótima oportunidade em uma empresa”. Eles acreditam que é possível unir os dois. Os sonhos não precisam ser abandonados, mas também é preciso trabalhar em uma organização que compartilhe dessas ideias e que tenha práticas e processos que suportem isso.

Nesse ponto, eu começo a me perguntar: quantas empresas estão preparadas para essa nova realidade? Aliás, você já se perguntou por que está cada vez mais difícil encontrar e manter pessoas qualificadas na sua equipe? Ou já checou o quanto aumentou o turnover da sua empresa nos últimos anos?

Não são talentos que estão em falta. A nova geração gosta sim de trabalhar e de ser engajada na sua área de atuação, mas a relação com o trabalho mudou e essas pessoas estão buscando mais flexibilidade, transparência e conexão com o que fazem.

Essa realidade já está documentada em fatos. Nem eu, nem você e nem qualquer outra organização vai conseguir mudar isso. E, sério, não é nenhum absurdo ou coisa de outro mundo o que os Millennials estão querendo. Algumas pesquisas, onde foram entrevistados Millennials, podem comprovar isso para você.

👉🏼 6 em cada 10 entrevistados dizem que ter um “senso de propósito” é parte das razões pelas quais escolhem trabalhar em determinada empresa. Fonte: Mind the Gap: Millennial Survey

👉🏼 75% quer confiança a partir da transparência e do feedback; Fonte: Trinet Perform Survey

👉🏼 83% deseja ser orientado pelo o seu líder e não gerenciado; Fonte: Deloitte Millennial Survey

👉🏼 88% prefere uma cultura colaborativa do que competitiva. Fonte: Intelligence Group

Agora, já pensou em mudar a forma como a sua empresa opera?

Existem inúmeros processos e práticas que podem ser aplicados dentro de uma empresa para atrair, reter e criar times mais produtivos com esses talentos.

O trabalho remoto, por exemplo, é uma das possibilidades. Essa é uma prática baseada em confiança por parte dos líderes e em responsabilidade por parte da equipe.

E, no final, ambos os lados saem ganhando. A empresa com mais resultados, a partir do trabalho de profissionais engajados, e as pessoas vivendo uma vida mais realizada.

Faça parte do movimento Officeless! 💜 #beofficeless

Compartilhar esse post

Outros posts

5 motivos para não usar Slack, WhatsApp ou e-mail no trabalho remoto

Você não precisa ser um nômade digital para trabalhar à distância

Devo cobrar resultados diferentes de quem está remoto?

Faça parte do movimento
#beofficeless

Milhares de pessoas já se tornaram Officeless e voltaram a amar o trabalho que fazem. Ajude você também a acelerar essa mudança que é necessária.

Faça parte do movimento