A liderança "controle remoto" está com os dias contados

Você provavelmente conhece um líder assim: que prefere encontrar soluções sozinho e passa o tempo inteiro exigindo que a equipe execute as tarefas no menor tempo possível. Esse é o modelo de liderança "controle remoto".  E aqui, diga-se de passagem, o termo "remoto" se faz presente com uma conotação negativa — completamente diferente de como você costuma ler em nossos conteúdos. 

Vivemos um turbilhão de mudanças na forma como as relações de trabalho são acordadas, e, sim, as empresas estão adotando práticas mais flexíveis e colaborativas, mas muitas delas ainda de maneira pontual. É comum encontrar líderes e gestores que carregam a mentalidade de liderança "controle remoto", ou seja, alguém que acredita que basta apertar um botão e todos farão o que ele pedir e na hora que ele indicar. 

Dependendo da sua geração, você talvez esteja confortável em lidar com um gestor que atua dessa maneira, mas para os mais jovens (como é o meu caso), fazer parte de uma equipe liderada por alguém com esse perfil pode ser o pior dos pesadelos.

Não digo isso apenas por opinião pessoal — existem pesquisas indicando isso.

A Pesquisa Carreira de Sonhos 2019, realizada com mais de 90 mil estudantes, gestores e lideranças brasileiras, mostrou que atualmente os profissionais estão em busca de liberdade e autonomia. Sim, aquela tecla que a gente bate sempre que possível aqui no Officeless. Sabe por quê?

As pessoas estão em busca de empregos que se ajustem a sua maneira de pensar, ao seu estilo de vida, ofereçam oportunidades de crescimento e se conectem com o seu propósito pessoal. Só que isso ainda está sendo visto de maneira muito superficial, quando, na verdade, o buraco é bem mais embaixo.

E o que isso traz à tona? A necessidade de uma mudança cultural que se alinhe com os valores dos profissionais de HOJE.

Então, invés de se preocupar onde a equipe está ou se todos cumpriram estritamente a sua jornada de oito ou dez horas de trabalho; por que as lideranças não começam a levar mais a sério outros pontos como: implementar práticas de trabalho que priorizem a produtividade e, ainda assim, atendam expectativas de todos os envolvidos?

Quando a gente fala sobre ser Officeless, estamos falando muito mais sobre mudar a forma como o trabalho é visto, do que mudar de ambiente. Ser Officeless é sobre relacionamento e conexões com propósito dentro de uma equipe. É sobre garantir a liberdade, a autonomia e respeitar o tempo de cada um dentro e fora de um escritório.

E quer saber o que realmente rouba a produtividade, autonomia e criatividade que esses “líderes” tanto desejam? O controle.

Se você quiser saber mais sobre o assunto, confira a matéria produzida pela Exame clicando aqui.